.

“Poesia não é para compreender mas para incorporar
Entender é parede: procure ser árvore.Manoel de Barros.







.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Só mais um Zé e uma Maria.

 "Bebeu e soluçou como se fosse um náufrago
Dançou e gargalhou como se ouvisse música
E tropeçou no céu como se fosse um bêbado
E flutuou no ar como se fosse um pássaro
E se acabou no chão feito um pacote flácido
Agonizou no meio do passeio público
Morreu na contramão atrapalhando o tráfego"
Chico Buarque.


"Às vezes penso em desistir, sabe... Ai eu penso na Maria. No beijo de boas vindas e na comida quentinha que ela faz com tanto carinho. Ah, tão cuidadosa minha Maria..."
Ele era apenas mais um Zé Ninguém com a sola gasta e a camisa rota. Suando muito, ganhando pouco. Levando tapas na cara, mas sempre dando a outra face. Com um escapulário no pescoço e fé no peito.
"Eu nun tenho vergonha não. Todo trabalho é digno. Se eu não sou dotô foi porque a vida não quis. Podia tá robando, matando, pedindo esmola. Olha que eu não tinha nem um futuro, mas não quis isso para mim não. Queria dá uma boa vida para minha preta."
Nascido nos becos, filho da vida e foi cm ela que aprendeu tudo que sabe, que parece pouco, mas pouco já deixa de ser nada. Desde novo tinha a arma nas mãos mas não quis atirar, tinha a farinha ali mas não quis cheirar, tinha a cachaça no bar mas não quis nem parar. Quando ele conheceu Maria não quis outra coisa que não fosse amar.
"É, sou muito apaixonado, sim senhor. Já faz dez anos e pode passar mais dez que eu não troco por nada! Já tivemos tantos pobremas, mas enquanto tivermos juntos tudo fica bem."
E nun dia desses como outro qualquer, ele foi para construção e ela foi a feira. Maria não viu o caminhão, o caminhão não viu Maria. Antes que todos vissem, ela estava no chão em meio a tomates, alfaces e tangerinas.
"Eu nun sei que faria sem ela, olha... Ela é o motivo deu acordar todas as manhãs..."
E o Zé acordou mais uma manhã, sem saber como. Foi à construção, maquinalmente. Mas não haveria beijo de boas vindas e nem comida quentinha. E lá ficou o Zé em meio aos tijolos.
Só mais um Zé e uma Maria... Sem mais um Zé e uma Maria.
Ajude o GreenPeace assinando as petições. Juntos podemos fazer muito!GreenPeace Twitter!

6 novidades:

Gabriela Furtado disse...

AMO essa música...
um ótimo texto, querida!!
beijos

Thammy disse...

Me diverti aqui, com a nostalgia e com a música. Porque gosto e gostei do blog.
Um beijinho!

Malu disse...

Lizzy,


Chico sabe tudoooooooo , ... Rs
Ótimo texto e música.


BjO Grande de Boa Noite !

dear sarah disse...

Pelo menos a sua vida é digna!
Um exemplo dá a cara a tapa.

R;* disse...

Música que deixou lembranças em mim!
Por vezes acreditamos que somos apenas mais um, as vezes podemos ate ser, mas outras somos a diferença na vida de alguém, ou até mesmo a vida de alguém!
Beeijo ;*
Seguindo, lindo aqui ;D

Nina disse...

Adorei a música!

Ótima terça !