.

“Poesia não é para compreender mas para incorporar
Entender é parede: procure ser árvore.Manoel de Barros.







.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Choveu.

Choveu naquela tarde e não era mais uma chuva que vem quando quer e vai como chegou. Depois do almoço, às duas horas, choveu aquela tarde, como quando tinha 8 anos e o cheiro da terra molhada me lembrava o interior em que eu passava as férias e gostava tanto. Era clima de saudade, cheiro de infância.
Era mais que uma chuva que vem para dá descanso de sol, só para se refrescar, essas chuvas de verão. Ela veio e o vento me chamou para dançar e pular em meio as poças sem se preocupar com doenças ou carros. Pude sonhar com o que um dia vivi, com chuvas passadas.
As árvores que encobriam-se pela neblina transformaram-se em prédios e esses não balançam como se a qualquer hora fossem sair do chão, assustando uma menininha medrosa envolta nos braços da mãe. Envolvi-me nos meu próprio abraço, mas não por medo e sim por frio.
Choveu naquela tarde, lá fora e aqui dentro, as gotas não molharam e sim doeram, mas não aquela dor que marca e sim a que corroi cicatrizes. A dor de um dia viver, mas não poder voltar.


 Aqui em Belém chovia todos os dias no mesmo horário, logo depois do almoço, com as mudanças climáticas, presumo eu, isso se modificou e é algo que sinto  muito a falta. Hoje choveu naquela mesma hora de quando eu era criança... Ainda sem net ;/ postando só para não deixar isso aqui muito às traças, muitas saudades de lê-los com frequência.
Ajude o GreenPeace assinando as petições. Juntos podemos fazer muito!GreenPeace Twitter!

13 novidades:

Lilly M. disse...

'Era clima de saudade, cheiro de infância.
Era mais que uma chuva que vem para dá descanso de sol, só para se refrescar, essas chuvas de verão'.

Aqui também chove assim, e no fundo, no fundoo... é tão gostoso. Sou apaixonada pela chuva.*_*
Amei o post.
Beijo meu,
Lilly M.

♪ Nαdine. disse...

"Era clima de saudade, cheiro de infância." Aqui nem chove assim, mas deu saudades.
Lindo texto. Abraço forte =*

Marcelo Zaniolo disse...

Hoje mesmo pensei "faz tempo que não visito o Blog da Lizzy!" Hehe...

Que coincidência, hein?

E gostei bastante do texto. Quando eu li o título eu inclusive ia perguntar se tinhas um local favorito para ouvir a chuva quando era criança, porque de algum modo pensei direto em infância e nesse cheiro de terra molhada que você descreveu...

Bem bonito o texto.
Me fez viajar no tempo aqui também =)

Beeijo

ps: e espero que chova mais vezes nesse mesmo horário então. já que isso te faz feliz!

Veronica...ઇઉ disse...

Seu blog é lindo paranéns.

Veronica...ઇઉ disse...

Parabéns

Stéffani Priscila Rocco disse...

Engraçado como chuva faz agente refletir, sobre muita coisa e sentir saudade.
Eu pessoalmente sinto saudade do sol quando chove.

Lindo viu!
Beijo!

Lilly M. disse...

Tem SELINHO's pra você lá no meu cantinho.
meninaapenas.blogspot.com
Vai lá buscar.
Beijo meu,
Lilly M.

Lara Oliveira. disse...

"Era clima de saudade, cheiro de infância." Engraçado como a chuva sempre nos faz lembrar de algo, não? É, também me lembra muito minha infância ás vezes...
Beijos

Grafite disse...

Querida, desejo tudo o que há de melhor no novo ano que está chegando!

beijo

Gabriela Furtado disse...

Chuva sempre tem cheiro, gosto e barulho de lembrança...até que eu gosto!
p.s comecei a ler teu texto e choveu.
beeeijos

Luana disse...

Amei muito *-*
Seguindo =)

Daíse disse...

Amei o blog e post sobre a chuva!
Amo chuva! E já disse que não há chuva mais linda do que a de Bélem!!!
Qdo eu morei em Bélem há alguns anos atrás, ainda se chovia todos os dias as 4 da tarde. Alías, acredito que tenha sido Bélem q fortaleceu meu amor por chuva!
Bjos!

C. Mantovani disse...

Oi linda...td bem? Estou passando para te ler, te visitar, e lhe deixar um mega e especial beijo....