.

“Poesia não é para compreender mas para incorporar
Entender é parede: procure ser árvore.Manoel de Barros.







.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

O meu amor.

"O meu amor tem um jeito manso que é só seu
Que me deixa maluca, quando me roça a nuca
E quase me machuca com a barba mal feita
E de pousar as coxas entre as minhas coxas
Quando ele se deita "
Chico Buarque.



Ele vem sorrateiro e calado,
Mostrando que me quer.
Dizendo que não sou mais uma que lhe tem amado.
Chamando-me de "minha mulher".

Ele não decora datas especias.
Nem faz o tipo romântico demais.
Mas enlaça-me em seus braços como ninguém faz.

Ele não grita ao mundo que me ama.
A inveja é feito álcool, com fogo inflama.
O nosso amor a gente sabe, escondidos em nossa cama.

Ele não é o que eu pedi a Deus.
Nem eu sou a nora perfeita.
Mas eu sou dele e ele é só meu.
O resto, a vida ajeita.


Como primeira postagem desse blog decidi colocar esse poema que já foi postado nos blog antigo, mas que foi um dos poemas que mais me orgulhei em fazer.
Ajude o GreenPeace assinando as petições. Juntos podemos fazer muito!GreenPeace Twitter!

5 novidades:

Rodolpho Padovani disse...

Ei mocinha, me lembro desse poema no blog antigo, tá muito show mesmo.

Obrigado por ter me passado o novo endereço. Olha que demais, sou o primeiro seguidor, rs *.*

Bjs =)

dear sarah disse...

Nossa, seu blog ta lindo ein. Parabéns!
Adorei o texto tambem, beijinhos!

♪ Nαdine. disse...

"O resto, a vida ajeita." Adorei o texto! e o blog tá lindo *-*

Te seguindo, beijos.

Luiza disse...

flooor você tme muitos poemas bons, pode colocá-los aqui. eu adoro todos que leio! boa sorte com seu blog, beijos e estou seguindo :)

C. Mantovani disse...

LIndo seu blog...de cara nova! Lindo o poema tbem....mega beijo pra ti linda!!